Notícias

  • Reduzir fonte
  • Aumentar fonte
  • Imprimir

23/02

Voltar

Anima Lab – UniBH

Um ecossistema de inovação, assim pode ser definido o novo espaço de aprendizagem do Grupo Anima, lançado no dia 22 de fevereiro. Considerado o maior da América Latina, o Anima Lab possui mais de 700m² abertos para a comunidade escolar e civil. Localizado no Campus Estoril do Centro Universitário UniBH, o espaço será um centro de inovação voltado à pesquisa, desenvolvimento tecnológico e empreendedorismo. É ainda um centro de treinamento e capacitação de pessoas, um lugar de convívio e troca de conhecimentos.

Segundo o professor do UniBH e desenvolvedor do projeto, Rafael Ávila, o Anima Lab surgiu de uma extensiva pesquisa feita pela instituição junto às escolas mais inovadoras do Brasil e do Mundo. “Diante destas pesquisas, descobrimos que tão importante quanto ter um bom currículo, bons professores-mentores, tecnologias disponíveis, precisávamos mudar também as metodologias de aprendizagem e, claro, os espaços disponíveis. O Anima Lab assim, nada mais é, que um grande espaço de aprendizagem, uma "sala de aula" ampliada e diferenciada”, esclarece Rafael. 

O Anima Lab será aberto a toda sociedade e oferecerá espaços de convívio com um café coworking e um coworking propriamente dito, laboratórios maker - onde os estudantes podem criar projetos, produtos, usando ferramentas e equipamentos modernos. Além de um programa de desenvolvimento de startups e uma sala de metodologias ativas de aprendizagem e capacitação de professores. 

Serão mais de 15 startups selecionadas na universidade e também na comunidade. A Hug Me é um dos projetos já escolhidos. Ele tem o intuito de potencializar a aquisição da língua inglesa em crianças de 2 a 6 anos por meio de um aplicativo que trabalhará personagens de forma lúdica e natural. “Nosso projeto surgiu em 2014 e, desde então, estamos desenvolvendo e realizando pesquisas para inserir o aplicativo no mercado. No entanto, é preciso investimento. O Anima Lab chega para viabilizar nosso projeto. Além de ter profissionais disponíveis e qualificados em todas as áreas do conhecimento também teremos infraestrutura de alto nível e tecnologia de última geração disponível”, pontua Gustavo Siqueira, diretor executivo da Startup.

Para Rafael, a participação da sociedade é fundamental para o projeto. “Queremos a comunidade dentro do Lab e queremos que aquilo que produzimos dentro da universidade gere benefícios para o entorno e para a sociedade em geral. Estamos desenhando um modo de funcionamento que permita que a comunidade use o café e o coworking, que se beneficie dos nossos equipamentos e capacitações, que faça parte de todos os programas”, completa Ávila. 

O Anima Lab ficará aberto de 8h às 20h de segunda a segunda e as inscrições para participar da primeira etapa do programa de aceleração de startups estará disponível em breve.

 

Enviar por E-mail

Atenção ao preenchimento dos campos